Monthly Archives: fevereiro 2016

PARIDADE AS AVESSAS

POLICIAIS:   SIM, VALE A PENA APOSENTAR!!!!

Aposentados tiveram aumento em 2015.

Aposentados terão aumento em 2016.

CONTINUAR NA ATIVA PODENDO APOSENTAR????

PARA QUE????

PUBLICADA PORTARIA DO DEJEC

DIÁRIO OFICIAL DO ESTADO DE SÃO PAULO

www.imesp.com.br

8 – São Paulo, 126 (33) Diário Oficial Poder Executivo.

Seção I terça-feira, 23 de fevereiro de 2016.

POLÍCIA CIVIL DO ESTADO DELEGACIA GERAL DE POLÍCIA DR. MAURÍCIO GUIMARÃES PEREIRA Portaria DGP-1, de 22-02-2016 Estabelece regras e critérios para o pagamento da Diária Especial por Jornada Extraordinária de Trabalho Policial Civil (Dejec) no âmbito da Polícia Civil O Delegado Geral de Polícia, Considerando que a Lei Complementar 1.280, de 13-01- 2016, instituiu a Diária Especial por Jornada Extraordinária de Trabalho Policial Civil, destinada a remunerar Policiais Civis que atuem em jornada além daquela que lhes é exigida; Considerando a necessidade de serem definidos, nos termos do art. 7º da referida Lei Complementar, os critérios e as atividades a que serão submetidos os policiais civis que receberão o benefício, Determina: Artigo 1º. O pagamento da Diária Especial por Jornada Extraordinária de Trabalho Policial (Dejec), prevista na Lei Complementar 1.280, de 13-01-2016, visará: I – nas unidades de polícia judiciária de base territorial: a) ao esclarecimento de crimes; b) à redução dos acervos dos cartórios criminais; c) ao atendimento nos plantões; II – nos núcleos especiais criminais, às atividades que lhe forem próprias; III – à realização de policiamento preventivo especializado, nos municípios que não contarem com unidades específicas ou cujos recursos humanos não forem suficientes para tal fim; IV – à segurança de pessoas presas, sob responsabilidade da Polícia Civil, durante o período em que estiverem recolhidas ou em deslocamentos, incluindo-se os relativos à audiência de custódia; V – à agilização, implementação e otimização das respectivas atribuições e competências nos Departamentos Especializados, bem como nas Unidades Especializadas dos Departamentos de base territorial. Artigo 2º. Terão direito ao recebimento da Dejec os Policiais Civis em horário de folga ou gozo de licença-prêmio e que voluntariamente se inscreverem na unidade indicada pela Diretoria Departamental para alcançar os objetivos previstos no artigo anterior, para, em dias e horários predeterminados, laborarem em unidade definida pela Administração. § 1º. O Policial Civil que pretender inscrever-se para cumprir jornada remunerada pela Dejec deverá apresentar prévia autorização da Autoridade Policial a que estiver subordinado. § 2º. A autorização de que trata o parágrafo anterior poderá ser revogada, motivadamente e a qualquer tempo, pela Autoridade Policial superior ao Policial Civil beneficiado, cabendo a ela dar ciência ao Órgão Subsetorial responsável pelo pagamento da Dejec. § 3º. Na hipótese do inciso V do art. 1º, a atividade somente poderá ser desempenhada por policiais civis do respectivo Departamento. Artigo 3º. Com observância do disposto no art. 1º desta Portaria, as Diretorias Departamentais apresentarão, em 30 dias a contar da publicação desta Portaria, plano de ação especificando os objetivos eleitos e o número de policiais civis necessários em cada unidade a ser atendida. Parágrafo único. Para os fins previstos no art. 8º, da Lei Complementar 1.280/2016, o Departamento de Administração e Planejamento elaborará planilha com a previsão das despesas decorrentes do pagamento da Dejec, de acordo com as informa- ções fornecidas pelos Departamentos indicados no caput. Artigo 4º. O respectivo órgão Subsetorial ficará responsável pela inscrição e controle das frequências dos Policiais Civis que tiverem direito ao recebimento da Dejec, observados os limites estabelecidos no art. 1º, § 1º, da L.C. 1.280/2016 e deverá adotar as providências necessárias para inclusão em folha de pagamento do servidor na forma do art. 2º, parágrafo único, da mesma lei. Artigo 5º. Após a autorização governamental para a realização da Dejec, caberá ao Departamento de Administração e Planejamento da Polícia compilar os dados recebidos dos Órgãos de Execução e efetuar acompanhamento dos resultados, analisando objetivos, pessoal envolvido e despesas, dentre outros critérios que entender convenientes, apresentando relatório trimestral à Delegacia Geral de Polícia Adjunta. Artigo 6º. Esta Portaria entrará em vigor na data de sua publicação.

SUGESTÃO DO SIPOL PARA A PORTARIA DO DEJEC

Art….   “É facultado ao servidor Policial Civil a opção de trabalhar em Regime de Plantão em sua unidade no mês da opção em participar do DEJEC, em escala a ser elaborada pelo Delegado Titular da Unidade respectiva“.

JUSTIFICATIVA

Muitos Policiais Civis trabalham em regime de EXPEDIENTE. Isso permitirá que participem da DEJEC apenas em horário noturno, finais de semana, férias e licenças prêmio.

Tal situação LIMITA os já INJUSTIÇADOS ESCRIVÃES e demais Policiais Civis que não recebem G.A.T. e são obrigados a trabalhar em OUTRA UNIDADE, até mesmo em OUTRO MUNICÍPIO durante o horário de seu expediente. Impossibilitando assim o recebimento da DEJEC.

Facultar a opção por trabalhar em regime de plantão, não desobriga o servidor de continuar a cumprir suas atividades com esmero. Até porque a DEJEC é FACULTATIVA.

Muito embora o SIPOL pregue a adequação salarial sem o aumento da carga de trabalho, já que a DEJEC foi “conquistada” e está ai, que ao menos seja POSSÍVEL, que seja DEMOCRÁTICA A TODOS os servidores Policiais Civis.

REGULAMENTAÇÃO DA DEJEC? (Esclarecemos que não encontramos publicação oficial a respeito)

DEJEC 4

 

DEJEC 2

 

DEJEC 3

Policial Civil: não se esqueça da Assembleia Geral na sede do SIPOL no dia 23/02/2016

AQUI é o lugar certo para expor sua opinião

CONVIDE e “COBRE” a presença dos colegas até então ansiosos por este momento

ENTIDADES SINDICAIS UNIDAS PELOS POLICIAIS CIVIS DE TODAS AS CARREIRAS

Logo aumento 2

PARABÉNS À  DIG DE PRESIDENTE PRUDENTE-SP

A Polícia Civil, através da Delegacia de Investigações Gerais (DIG), prendeu cinco homens e apreendeu aproximadamente 70 mil produtos, além de cerca de 100 cheques, na madrugada desta quinta-feira (18), durante a Operação Arara, em Presidente Prudente.

Os homens presos são suspeitos de praticarem crimes de estelionato, associação criminosa e também contra a ordem tributária. O grupo estava em um barracão na Vila Paulo Roberto, na zona leste da cidade. A estimativa é de que a quadrilha movimentava em torno de R$ 4 milhões por mês.

O grupo agia com a utilização de nomes sem restrições, eram abertas empresas com endereços de cadastro falsos. Depois, com um CNPJ regular, eles adquiriam contas em bancos e créditos para a aquisição de produtos, os quais eram revendidos. Quando o prazo para o pagamento desses produtos expirava, os criminosos fechavam o estabelecimento levando tudo e deixando inúmeras empresas sem o recebimento.

Os Investigadores, que já estavam à procura dos estelionatários, receberam a informação de onde estariam os líderes da quadrilha. Os policiais foram ao local, e constataram o funcionamento da ‘arara’. Foram apreendidos aproximadamente 70 mil itens, divididos em centenas de caixas, predominantemente produtos perecíveis e utilizados domesticamente.

Pouca parte dos produtos possuía notas fiscais, no caso, aqueles que ainda não haviam tido o vencimento dos boletos. Três empresas lesadas já foram identificadas e contatadas, a fim de receberem de volta os produtos.

Cinco homens com idades entre 25 e 48 anos, participantes da organização criminosa foram presos em flagrante.

A operação contou com a participação de fiscais da Receita Estadual.

SIPOL – Os trabalhos continuaram de madrugada. Policiais trabalharam até quase amanhecer esta quinta-feira.

CONTATO:

DIG PRES. PRUDENTE: (18) 3221-9700

Seccional de Pres. Prudente: (18) 3221-9300

O Presidente do SIPOL, nos termos de seu Estatuto Social, CONVOCA todos os Policiais Civis de sua área de abrangência, filiados ou não, para a Assembleia Geral, a ser realizada na Sede do SIPOL, no dia 23 de fevereiro de 2016, na Praça Coronel Francisco Goulart, 259 (Praça da Igreja da Maristela), em primeira chamada por maioria absoluta dos votos às 18h30 e em segunda chamada, por maioria simples às 19h00min será decidida a pauta de reivindicações para o ano de 2016 e aprovação da mudança de endereço oficial da sede da rua Caramuru, 37 para a Praça Coronel Francisco Goulart, 259, CEP 19020130, Vila Maristela, Presidente Prudente – São Paulo.

Tendo um vista o total silêncio do Governo a mais de um ano, momento que conseguimos certa proximidade, mas sem nada evoluirmos com relação a benefícios para a categoria, chegou o momento da BASE se pronunciar. Sob a batuta da FEIPOL/SE nossa legítima interlocutora formularemos uma pauta única para ser apresentada ao Governo do Estado; algumas sugestões já foram encaminhadas. Vale lembrar que o momento é de mobilização e união e que nós, representantes das entidades de classe, somos meros interlocutores dos anseios de nossos representados. Assim é de suma importância que todos compareceram nas ASSEMBLEIAS GERAIS EXTRAORDINÁRIAS que serão realizadas em diversos pontos do Estado, nessa mesma data, e se posicionem sobre o que lhes for apresentado. Nunca é demais lembrar que as AGE são soberanas e o que for decido pela maioria será acatado por todos dentro do melhor espírito democrático.

Assembleia