Em memória dos Policiais Civis que tombaram em trabalho

defendendo a sociedade:

Chamamos a atenção da Imprensa e da Sociedade para os problemas enfrentados pelos Policiais Civis. NÃO PODE SER CONSIDERADO “NORMAL” POLICIAL SER ASSASSINADO POR FACÍNORAS.  PRECISAMOS COMBATER A INVERSÃO DE VALORES ÉTICOS E MORAIS. A liberdade individual não pode se sobrepor à Ordem, ao Progresso, e ao bem estar da Sociedade.

Solicitamos aos Governantes que os homicídios em que Policiais são vitimados sejam o gatilho para a criação de “grupo especial de investigação” para, com a maior celeridade possível, demonstrar à sociedade nossa capacidade investigativa e repressiva. Esse grupo, como sugestão, deve ser composto por um Policial Civil da área de trabalho da vítima, da DIG da Região/Seccional, ou DEIC, e Autoridade Policial designada especialmente para esse fim.

Analogicamente ao caso do Delegado que sucumbiu em São José do Rio Preto, onde as Investigações foram sérias, céleres, profissionais e mobilizaram grande aparato da Polícia Civil, deve trabalhar esse grupo especial.

FICA A SUGESTÃO À DELEGACIA GERAL DE POLÍCIA. Abaixo os vídeos feitos em Presidente Prudente e Região.