É a terceira vez, apenas neste mês de julho de 2016, que POLICIAIS CIVIS DO ESTADO DE SÃO PAULO têm sua vida interrompida de forma prematura e violenta.A parte mais triste é que nosso PATRÃO nos considera como mero número ou até mesmo um fato estatisticamente tolerável, este verdadeiro absurdo que está acontecendo.

Nós da ALIANÇA SINDICAL jamais iremos nos conformar com este estarrecedor fenômeno.Estes POLICIAIS CIVIS que tombaram jamais foram reconhecidos pelo PATRÃO durante a vida, o qual deliberadamente nos divide para governar, e de forma vergonhosa não nos contempla com os benefícios proporcionados para a POLÍCIA MILITAR e os AGENTES PENITENCIÁRIOS, nos tratando como servidores de segunda categoria.

E agora?
Como ficam as famílias destes POLICIAIS CIVIS?
Quem de nós será o próximo?

Vamos às datas e nomes:
09/07/2016 -Leandro de Abreu
12/07/2016-Edson da Silva Junior
21/07/2016-Osmar Berbardini

E quantos outros foram baleados e socorridos em estado grave como ocorreu na manhã do dia 12/07/2016 (terça-feira), por volta das 7h30, em que o colegaElcio Carlos Nogueira estava em uma viatura descaracterizada na Avenida Cangaíba, na zona leste, quando foi atacado por bandidos que “teriam tentado roubar o carro”. Os criminosos atiraram várias vezes e fugiram sem levar nada.Nogueira foi levado até o Pronto-Socorro do Tatuapé, na zona leste, onde está internado em estado grave. Os tiros acertaram o braço, e a bala ficou alojada no abdome dele. Como será que está a recuperação deste colega, bom, não importa, ele é só mais um POLICIAL CIVIL!

Também tivemos notícias de colegas da capital que conseguiram se antecipar à ação delituosa e deram a resposta necessária diante de um ataque sorrateiro e covarde!