JORNADAS EXCESSIVAS / ESCALAS EXTRAS:

…tudo em nome do RETP ?

FOTO

LEIA MATÉRIA COMPLETA EM:  WWW.SIPOL.COM.BR

Amplamente divulgado pelos meios sociais de comunicação, um caso em especial chamou a atenção de milhares de Policiais Civis em todo o Estado.

O SIPOL tomou conhecimento do fato e o Policial Civil envolvido no caso já está com toda a ajuda jurídica disponibilizada.

Um outro documento, de outra cidade, e protocolado na unidade competente traz a tona a situação de outro Policial Civil também da Região de Presidente Prudente. O Policial já foi contatado e também receberá todo apoio do SIPOL Prudente.

PROVIDÊNCIAS

O SIPOL levará, através do departamento jurídico, ao conhecimento do Ministério Público de Presidente Prudente ambos os casos para eventuais providências e, também, para serem anexados à Ação Civil Pública em face da falta de servidores na área do DEINTER-8, e que corre em segredo de Justiça .

Vamos oficiar a todos os Prefeitos e todos os Vereadores de todos os Municípios da Região de Presidente Prudente informando sobre a necessidade de pressionar o Governo a contratar servidores. Vamos expor toda nossa vontade de trabalhar e nossas necessidades e dificuldades. Dinheiro público não é feito para ter “superavit”, ou “lucro”. Dinheiro público não foi feito para investimentos de interesse do empresariado. Dinheiro público é para fazer a MÁQUINA FUNCIONAR.

Comemorar “superavit” diante dessas condições de trabalho, escala e de material humano, três anos sem reajuste, promoções emperradas, Lei do Nível Universitário implementada de forma pífia, insignificante, demais carreiras de 2º grau recebendo como de 1º grau, … e agora com essa PEC da desgraça, cuja única consequência vai ser encher a Polícia de velhinhos e velhinhas doentes, para combater facínoras cada vez mais jovens, como os de Alcaçús, e mais recentemente em Bauru. a que estão submetidos os Policiais Civis é uma ação que caberá aos políticos incialmente da Região, ao povo, à imprensa e aos policiais julgarem.

NÃO DÁ MAIS PARA ESCONDER

É do conhecimento de todos a falta de servidores Policiais Civis. O descaso com a Instituição não é só em nosso Departamento, mas em todo o Estado de São Paulo.

Estatística e produção são coisas de empresas privadas onde se visa lucro.

Polícia é órgão estatal. É primeiro setor. Visa o bem comum.

E isso não se consegue seguindo exclusivamente dados estatísticos.

Mas antes, com a saúde física, mental e motivação dos subordinados.

QUESTÕES PSICOLÓGICAS OU PSIQUIÁTRICAS

O SIPOL orienta a todos os servidores que se encontrem diante da necessidade de tratamento para essas questões, que dialoguem exaustivamente com seus profissionais da saúde para a expedição de laudos que comprovem sua situação atual, e que comuniquem oficialmente ao departamento pessoal competente sobre a necessidade de avaliação pericial.

Muitos casos de depressão podem ser confundidos ou tratados como descaso do servidor, como preguiça, como rebeldia etc. Isso não pode acontecer. São situações graves que afetam a saúde do servidor e dos que estão a sua volta.