22/04/2017 – Nota de Repúdio

comunicado

Um trabalho conjunto e uma parceria constante para garantir a segurança pública. Esse deveria ser o lema daqueles que enfrentam armas e bandidos para defender a sociedade. No entanto, parece que nem todos têm esse pensamento. Um fato inadmissível registrado esta semana na cidade de Paraíso, no estado de Tocantins, mostrou o desrespeito de alguns Policiais Militares em relação a Civis, que cumpriam apenas com a sua função.

Após a prisão de dois militares, possivelmente, envolvidos com tráfico de drogas durante a operação Frutas Podres, um grupo de 20 policiais da mesma categoria invadiu a 2ª Delegacia da Região para intimidar o delegado Cassiano Ribeiro Oyama, responsável pelo caso. Armados com fuzis, eles invadiram a sala do delegado sob a justificativa de que os civis também tinham invadido o batalhão da PM. Na verdade, os policiais civis apenas cumpriram uma ordem judicial para busca e apreensão de materiais e mandado de prisão de alguns agentes. Já os Militares usaram todo um aparato desnecessário para entregar um documento oficial ao titular do distrito policial.

Ressaltamos que os Policiais Civis em nenhum momento desrespeitaram os Militares, somente cumpriram com o seu dever. Há respaldo da lei para que tenham acesso a quartéis quando se trata de algum processo de investigação, totalmente contrário à conduta dos Policiais Militares que participaram deste episodio, e disposto a apoiar os trabalhadores da categoria envolvidos na situação. Repudiamos esse tipo de comportamento. Não compactuamos com ações que destroem ao nosso compromisso de unirmos as nossas forças a favor da segurança pública.