PRECATÓRIOS – “NÃO EXISTE POSSIBILIDADE DE SÃO PAULO PAGAR”, teria dito o Presidente da Câmera dos Deputados, Eduardo Cunha.

Só em dezembro os precatórios paulistas somavam R$ 17,4 bilhões. A prefeitura de São Paulo apresenta a soma de R$ 15,6 bilhões.

Alckmin teria informado que o acórdão do STF está sendo estudado pelo procurador-geral do Estado e, apenas após a análise, ele irá determinar que medias São Paulo deve tomar.

SIPOL – Prefeituras, Estados e a própria União não cumprem efetivamente as leis e, invariavelmente são condenados pela Justiça à prestação devida.

Profissionalizem-se os políticos e, posteriormente, profissionalizem o Estado, para que essas contas não sobrem para o Cidadão. Pois essas contas não são propriamente do Estado, mas da própria comunidade, pois ela arcará com as conseqüências.

Esse jogo de empurrar com a barriga, e administrar Entes Públicos com base em pareceres encomendados a jovens advogados está onerando as Fazendas Públicas e prejudicando os próprios políticos que neles confiam.

Fonte: http://www1.folha.uol.com.br/poder/2015/03/1609511-haddad-e-cunha-se-unem-para-tentar-adiar-precatorios.shtml