153 Escrivães remanescentes do concurso de 2012 foram nomeados. Apenas 90 tomaram posse. Por quê?!

E tem quem diga que essa evasão é normal em todos os concursos públicos.

Não. Não é.

É um sinal grave, um alerta decisivo. Uma demonstração de que não há atrativo para o cargos de servidores OPERACIONAIS da Polícia Civil.

Os servidores Investigadores, Escrivães, Agentes, Carcereiros, etc, não tiveram valorização correspondente aos Delegados de Polícia.

O Governo vem patrocinando esse abismo salarial, colaborando para o descontentamento geral dos servidores operacionais.

Governador Geraldo Alckmin não recebe os representantes dos servidores operacionais, não ouve a base. Destina as Entidades a se reunirem em encontros estéreis, sempre requisitados. Parece não querer ouvir a real situação dos servidores Operacionais, a partir dos próprios, sem interlocutores.

Senhor Governador. A força e eficiência de um órgão público não depende apenas de uma carreira. Mas do esforço concatenado de todas que o compõe.

Intolerável para qualquer empresa, órgão estatal, entidade, não ter política salarial e de reposição de pessoal ágeis, criteriosas, justas e eficientes.

Temos que a situação dos Delegados de Polícia ainda precisa melhorar. Se comparada à de outros Estados. Mas, se olharmos para dentro de nossa casa, o momento é de urgente trabalho por todas as outras carreiras, buscando reconhecimento isonômico:

Investigadores e Escrivães: N.U. aviltante;

Carcereiros, Agentes, etc.: Carreiras erigidas ao Segundo Grau sem a devida implementação financeira.